Tuesday, September 26, 2006

zen-mutismo

mistérios em mim evaporem
como as gotas daquela chuva,
que perdure na pétala o vento,
pelo tempo que o susto perdura.

lágrimas mínimas, máximo afago,
dúvidas inteiras, meias metades,
verdes verdades, maldades negras,
calado diante de tudo me flagro.

séculos de sexos, neves e nexos.
eu em mim, eu sem dó, em latim,
lânguidas línguas falam por si,
e calo eu, eu de mim, mudo enfim.

sopro de um sussurro revivendo,
eu calado calando sobre mim,
e sem querer tanto silêncio,
murmúrio assim se dizendo.

Múcio Góes

http://e-diversos.blogspot.com/
...

5 comments:

Mary said...

Múcio é um poeta fantástico!

Sou fã! :)

Márcia said...

Nexos feitos de amplexos entre palavras regidas pelo maestro Múcio.
noite linda,
beijossssssss

diovvani mendonça said...

Múcio
Mutismo-Silêncio
Zem+Palavras.

Múcio Góes said...

Caro Wilson, grato e feliz pela deferência, pelo espaço, afinal, a divulgação de um poema é sempre um semear de poesia.

Brigadao!

[]´s

Kaká said...

parar, pensar, sorver cada palavrear...