Friday, March 23, 2007



Quando não te acho, adoeço


E procuro-me

Pro curo me
tudo já está dito no início
no latim
procurare
dever ser a origem, sei lá
pro curare
procuro-me procuro-me
curar-me , curar-me
que ferida é esta alguém pergunta
a mesma que a sua
a da mordida
a da mordida na maçã
a maçã é a gente mesmo
claro
procurare da mordida
procurar-me da mordida
procurar-me na ferida
há de ser lá onde o olho vibra
há de ser lá na ardência mesmo do inferno
no calor gigantesco da criação
na ebulição do vulcão
onde os diabos gritam
que hei de encontrar-me...
encontrar-me frente a frente
esbarrar no outro cão
e reconhecer-se
reconhecer-se
no mais forte clarão.

Jokasta

2 comments:

Elaine Pauvolid said...

Olá, Wilson!
Gostei de ver jokasta aqui!!!
Beijos

Effie said...

Thanks for writing this.